domingo, 10 de maio de 2009

Como sobrevivemos aos anos 80 ?

-->
Quem nunca recebeu aqueles e-mails com os famosos arquivos em ppt (power point), cheios de flores e blá, blá, blá ?, pois bem, recebi um e-mail deste esta semana e o título me fez abrir e ler – geralmente deleto sem sequer abrir – tive uma surpresa, pois o conteúdo era tão bom que resolvi fazer uma adaptação do texto e posta-lo aqui, afinal de contas eu sobrevivi aos “temerosos” anos 80.

Como eram anos 80 e como “sobrevivemos” (vivemos) nesta década saudosa:
Os carros não tinham cintos de segurança, apoios de cabeça, nem airbag íamos soltos no banco de trás fazendo aquela farra. E isso não era perigoso!

As camas tinham grades e os brinquedos eram multi cores com pecinhas que se soltavam ou no mínimo pintados com umas tintas “duvidosas“ contendo chumbo ou outro veneno qualquer.

Não havia travas de segurança nas portas dos carros, chaves nos armários de medicamentos, detergentes ou químicos domésticos.

A gente andava de bicicleta para lá e pra cá, sem capacete, joelheiras, caneleiras e cotoveleiras...

Bebíamos água de filtro de barro, da torneira, de uma mangueira, ou de uma fonte e não águas minerais em garrafas ditas ¨esterilizadas¨.

Construíamos aqueles famosos carrinhos de rolimã e aqueles que tinham a sorte de morar perto de uma ladeira asfaltada, podiam tentar bater recordes de velocidade e até verificar no meio do caminho que tinham economizado a sola dos sapatos, que eram usados como freios... alguns estavam descalços.

Íamos brincar na rua com uma única condição: voltar para casa ao anoitecer.

Não haviam celulares e nossos pais não sabiam onde estávamos. Era incrível!

Tínhamos aulas só de manhã e íamos almoçar em casa.

Quando tínhamos piolho usávamos Neocide em pó.

Braços engessados, dentes partidos, joelhos ralados, cabeças lascadas. Alguém se queixava disso?

Comíamos doces à vontade, pão com manteiga, bebidas com o (perigoso) açúcar. Não se falava de obesidade.

Brincávamos sempre na rua e éramos super ativos.

Dividíamos com nossos amigos uma Tubaína comprada naquela vendinha da esquina, gole a gole e nunca ninguém morreu por isso.

Nada de Playstations, Nintendo 64,X boxes, jogos de vídeo, internet por satélite, vídeo cassete (no final dos anos oitenta existiam, mas era muito caros) e DVD, Dolby surround, celular com câmera, computador, chats na Internet. Só amigos.

Quem nunca teve um cão ? Ração?, pet-shop? Comiam a mesma comida que nós (muitas vezes os restos), e sem problema algum. Banho quente? Xampu ? Que nada, o banho era no quintal, um segurava o cão e o outro com a mangueira ia jogando água (fria) e esfregando-o com (acreditem se quiserem) sabão (em barra) de lavar roupa.

A pé ou de bicicleta, íamos à casa dos nossos amigos, mesmo que morassem a quilômetros de nossas casas, entrávamos sem bater e íamos brincar.

É verdade, lá fora, nesse mundo cinzento e sem segurança, como era possível?
Jogávamos futebol na rua, com as traves sinalizadas por duas pedras, e mesmo que não fôssemos escalados ninguém ficava frustrado e nem era o “FIM DO MUNDO“!

Na escola tinham bons e maus alunos, uns passavam e outros eram reprovados, ninguém ia por isso a um psicólogo ou psicoterapeuta. Não havia a moda dos superdotados, nem se falava em dislexia, problemas de concentração, hiperatividade. Quem não passava, simplesmente repetia de ano e tentava de novo no ano seguinte.

As nossas festas eram animadas por radiólas (vitrolas) com agulhas de diamantes deslizando sobre os discos de vinil, luz negra e um delicioso coquetel feito de groselha e maçã em cubinhos.

Tínhamos: Liberdade, fracassos, sucessos e deveres e aprendíamos a lidar com cada um deles.

A questão é: como conseguimos sobreviver? E acima de tudo, como conseguimos desenvolver a nossa personalidade?

Sentiu saudades desse tempo? Não conhece ? Então vamos relembrar mais algumas coisas que naquela época faziam a alegria da galera ou apenas algumas que faziam parte do cotidiano dessa época. Você se lembra ?

Você fez curso de datilografia ?

Odiava ou adorava as provas com cheiro de álcool, recém copiadas no mimeógrafo (usando papel estêncil)?

Não ia para a escola no dia do seu aniversário com medo de levar um ovo ou vários na cabeça?

Aumentava o rádio quando tocava Barão Vermelho, Engenheiros do Havaí, Para-lamas e RPM ?

Viu ou ouviu a Gretchen cantar Conga La Conga, o Ritchie cantar Menina Veneno?
Jogava Enduro e River Raid no Atari e Master System?

tentou fazer o Moonwalker (andar para trás) do Michael Jackson?

Brincava de estátua, batata-quente, queimada, pega-pega, pique - esconde, estrela nova cela, forca, cabra-cega, amarelinha, casamento e STOP?

Tinha Melissinha (meninas), botas sete léguas, conga , ki chute? E sabia que o Tênis Montreal era o único anti-micróbio?

comia "Lollo", antes de se chamar "Milkbar"?

Achava muito bobo as meninas colecionarem papel de carta?

Dançava lambada do Sidney Magal ou do Beto Barbosa? Ou corria pra dançar quando escutava a música "Chorando se foi, quem um dia só me fez chorar..."? (no meu caso as festinhas aqui da rua só tocavam isso, mas eu era muito tímido e ficava sempre sentado no sofá até alguém me provocar e eu sair correndo atrás.

Mascava Ploc Gigante? Chupava bala Soft? Bebia Crush? Comia bala Xaxá? comprava Dimp Lik, Mini-Chiclets e o pirocoptero (pirulito que vinha com hélice, pra girar e voar)?

Tinha amigas com mania de dançar Jazz, igual à mulher do Flash dance ou que usavam polainas ?

Respondia aos Questionários das colegas? Normalmente, em um caderno, e a última pergunta era de quem você gosta? Ou,deixa uma mensagem para a dona do caderno.

Brincava de salada mista e pedia para seu amigo para ver entre os dedos dele para escolher quem você queria beijar ?

Se viveu este tempo deve estar sentindo saudades agora, se não viveu, deve estar pensando como sobrevivíamos ou que “pengas” é essa?

Pena não ter o nome do autor no arquivo em power point, pois gostaria de citar, mas como fiz algumas adaptações ... fica aqui assinada minha coautoria com o autor desconhecido.

3 comentários:

Postar um comentário