quarta-feira, 1 de julho de 2009

11 anos no PCdoB

Hoje, 1 de Julho comemoro 11 anos de filiação ao Partido Comunista do Brasil – PCdoB, história que começou em 1998 quando estudava na E.E. Martins Pena.

Foi no Martins Pena quando cursava o ensino médio que tive o primeiro contato com o movimento estudantil, uma eleição para Grêmio da Escola estava ocorrendo, era período de inscrição de chapas e fui convidado para compor uma chapa, alguma semanas depois para minha surpresa a chapa tinha sido eleita e eu era o presidente do Grêmio.

Mais algumas semanas depois fui convidado para uma reunião no Partido (era assim que as pessoas falavam na época) ainda não sabia que partido era, mesmo assim resolvi conhecer, aquele convite tinha me deixado intrigado e curioso.

No dia da tal reunião mais uma surpresa a maioria da diretoria do Grêmio que eu era presidente estava presente, era uma reunião para apresentar àquele conjunto de jovens a UJS – União da Juventude Socialista, uma entidade onde a juventude se organizava e que atuava através de várias frentes, uma delas o movimento estudantil (na época pra mim era apenas o Grêmio), enfim, foi assim que naquela reunião apresentaram a UJS. Decidi na hora e me filiei.

E foi através da UJS que conheci o PCdoB, após algumas atividade, algumas reuniões e um curso de formação marxista para juventude, uma pessoa me disse: Esse aqui é o Partido Comunista do Brasil, com uma ficha de filiação em mãos oferecendo a mim.

Confesso que achei aquilo estranho, mas peguei a ficha, o estatuto e o programa e mais um emaranhado de informativos, boletins e etc. levei para casa e disse que pensaria.

Pensei, pensei bastante, uma semana depois no caminho para o Martins Pena passei na sede (Comitê Distrital) e deixei minha ficha preenchida e assinada.

Foi assim que começou minha militância no PCdoB, em março fui convidado para fazer parte de uma chapa que concorria ao Grêmio da minha escola, no final de março fui eleito presidente do Grêmio, em abril me filiei a UJS e finalmente em 1 de julho de 1988 assinei minha ficha de filiação ao PCdoB.

Claro que não foi tão simples assim, existiram muitas outras coisas entre uma ação e outra, mas esse é apenas um pequeno relato dos acontecimentos e da filiação.

Porém o que realmente mudou a minha visão de mundo, minha opinião, mudou minha forma de ser e agir, não foi a ficha de filiação e sim os 11 anos de militância ininterruptas, 11 anos estudando, militando e conhecendo o Partido Comunista do Brasil.

Partido que mudou minha vida, minha história e que a 87 anos luta em defesa do socialismo, do Brasil e do povo brasileiro. Partido formado por pessoas, pessoas que lutam, que sofrem, que caem, que tem sentimentos,que se levantam, acertam e que erram, pessoas que morrem e que morreram, que morreram por lutar, que morreram lutando, mas que estão e sempre estarão vivas no maior, mais forte e mais belo verbo da língua portuguesa: LUTAR.

Viva o Partido Comunista do Brasil.

1 comentários:

Postar um comentário