sábado, 29 de maio de 2010

Soneto para Ana, por Alexandre Prestes

Chegastes a mim como uma estrela
Via em teus olhos uma luz brilhar
Sentia tua presença como a brisa do mar
E de olhos fechados podia até vê-la

Não precisava seu rosto olhar
Nos meus sonhos Ana morava
Durante as noites me visitava
eu só precisava meus olhos fechar

Não só em meus sonhos ela morava
Um lugar especial em mim habitou
E naquele cantinho que Ana ocupou
a sua presença
me bastava

Do meu coração agora é parte
E onde um dia o cinza morou
O amor coloriu como em obra de arte


(escrito por mim, inspirado por ela, com toda a licença poética que possa existir)

1 comentários:

Postar um comentário