sábado, 28 de agosto de 2010

Alexandre Prestes - Percalços

Certa vez ouvi que os percalços são parte da vida
Fiquei sem entender o que queria dizer
Com o passar do tempo passei a compreender
São transtornos inerentes à vida e não há saída.

Assim como um pedreiro tem nas mãos calos,
Um sertanejo o rosto marcado pelo sol
Um amante o cheiro de outro no lençol,
E o peão a vida sobre os cavalos.

Quem vive de verdade tem o inesperado
Amar sem saber se será correspondido,
Sofrer com a dor do coração partido
Ou escolher ser poeta e viver enamorado

14 comentários:

Postar um comentário