sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Lya Luft - Auto-retrato (Pra não dizer adeus)

Alguém diz que sou bondosa:
está tão enganado que dá pena.
Alguém diz que sou severa,
e acho graça.
Não sou áspera nem amena:
estou na vida como o jardineiro
se entrega em cada rosa:
corte, sangue, dor e aroma,
para que a beleza fique na memória
quando a flor passa.

(Amar é lidar com os espinhos
de quem ama por inteiro:
com força, não com fraqueza.)

Selecionado pela @FezinhaSaldanha

0 comentários:

Postar um comentário