quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Vinícius de Moraes - Soneto de um Casamento

Na sala de luz lívida, sorriam
Sombras imóveis; e outras lacrimosas
Perseguiam lembranças dolorosas
Na exaltação das flores que morriam.

Em vácuos de perfume, descaíam

Diáfanos, de diáfanas mãos piedosas
Fátuos sons de brilhantes que fremiam
Entre a crepitação lenta das rosas.

Nas taças cheias acendiam círios

Votivos, e entre as taças e o lírios
Vozes veladas, nessa mesa posta

Velavam... enquanto plácida e perdida

Irreal e longínqua como a vida
Toda de branco perpassava a Morta.

Fonte: http://www.sonetos.com.br/sonetos.php?n=1497

0 comentários:

Postar um comentário