quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Alfredo Guilherme Galliano - Poema de 13 versos

Meu coração era flor esmagada
e salgada
e pavorosa gota de flor sem pétala.

Era rio impetuoso de águas turvas.
Negro era o céu e negra era a chuva.

A Amada despertou com cheiro de mar.
Ainda me lembro dos peixes do olhos.

A Amada levantou a primavera
Aurora de espigas sobre a terra,
branca aurora de asas e flechas.

A Amada é o oceano e primavera
e ar puro nos campos do meu verso.

E a aurora iluminou os espaços do Universo.

Alguma Poesia de Alfredo Guilherme Galliano
Fonte: Revista Fundamentos, nº 39 - Novembro de 1955.

1 comentários:

Postar um comentário